Um poema de POEMAS DI-VERSOS



HASTE

A faca que corta a haste é a minha língua. 
Afiada palavra transpassando teu peito.
Não se desespere. espere mais um pouco,
talvez o meu veneno não te atinja. (Tállison Ferreira da SILVA, Poemas Di-versos, 2016, p. 41)


Imagem: Neto Costa

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

POEMA: VIOLETA SIM! VIOLÊNCIA NÃO!

MARIA EU SEM TI...